Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

GALIZA UNIDA PORTUGAL



Sábado, 13.07.13

A RAPOSA COME GALINHA (distribuídas 500 folhas às 5h30-7h05 da quinta-feira, 11 de Julho de 2013 na porta da Bazan rua Taxonera)



Bárcenas MENTE, o PP não leva vinte anos FINANCIANDO-SE ILEGALMENTE; a AP-PP leva mais de TRÊS DÉCADAS FINANCIANDO AS SUAS FRAUDULENTAS VITÓRIAS ELEITORAIS COM O NARCOTRÁFICO. Portanto ILEGALIZAR O PP e meter toda a sua DIRIGÊNCIA e não só no cárcere é tarefa das forças INSURRECIONAIS que têm que derrocar os narcopresidentes Rajoy-Feijó para não acabarem a legislatura «porque têm maioria absoluta» e derrocar a narcotraficante monarquia. As forças INSURRECIONAIS têm de ser, em primeiro lugar, O PROLETARIADO, privado dos convénios e submetido já à redução até ao SALÁRIO MÍNIMO e ao aumento de jornada até às 1.800 horas/ano e a primeira INSURREIÇÃO do proletariado tem de ser contra a dirigência dos seus sindicatos nomeadamente Tojo e Mendez; o operariado não tem mais caminho que o COMBATE, e o combate tem de ser com a FORÇA DA UNIÃO. Nós reiteramos, uma e outra vez, que na Galiza cumprem Assembleias de Comités de Empresa, Conferências de Comités de Empresa, das empresas submetidas a EREs, sobretudo, e das empresas que não estão submetidas a EREs. Cumpre a organização e mobilização do proletariado desempregado particularmente o que não tem qualquer subsídio. Cumpre a luta do operariado pelo controlo das empresas para evitar a DESTRUIÇÃO DA ECONOMIA e para CONSTRUIR A ECONOMIA DA GALIZA nomeadamente dos estaleiros navais de Ferrol e Vigo. Tudo o contrário do que estão a propor por um lado CCOO num abjeto ato de COLONIALISMO em que um espanhol, Agustin Martin, chega à Galiza, a Ferrol, para IMPOR reivindicar construir barcos militares aquando se está a reivindicar e mobilizar para construir barcos CIVIS. Abjeto COLONIALISMO sindical espanhol, continuador do de Ignacio Marim, acabador de ASTANO, e sobretudo o colonialismo da Armada Invencível e as levas de galegos para leva-los à morte DESARMADOS nas guerras IMPERIALISTAS E COLONIAIS da monarquia espanhola (vejam o Spanish Point na costa ocidental da Irlanda) e por outro lado o BNG a propor um FRENTE COMUM DE RAPOSAS E GALINHAS em que IRREMEDIAVELMENTE AS GALINHAS seriam comidas pelas RAPOSAS, como durante mais de TRÊS DÉCADAS véu acontecendo, não com o VETO, mas com a PROIBIÇÃO DE CONSTRUIR BARCOS EM ASTANO, seis letras que cumpre não esquecer como tentam por toda a parte que se esqueça, assim OCULTAM OS SEUS CRIMES contra o proletariado de ASTANO, o de Ferrol e as comarcas próximas. Nós reivindicamos se investigue a CORRUPÇÃO POLÍTICO-SINDICAL HAVIDA DURANTE A RECONVERSÃO NAVAL DE ASTANO E OS SEUS EREs, Fundos de Promoção de Emprego, recolocações, Sociedade Italiana do Vidro, conservas El Cisne, Patinho-PSOE, Forças Eléctricas de Catalunha-ministro Narcis Serra, um milhão de pesetas ao advogado Benigno por cada INCAPACIDADE dada pela senhora de Benigno desde o Tribunal Médico e assim por diante.
E isto do PROLETARIADO bota-se muito em falta em TODAS as iniciativas políticas que estão a abrochar na Galiza; referimo-nos à boa nova de organizações da juventude galega UNIREM-SE para convocar manifestação em Compostela em dia 24 de Julho para comemorar o Dia da Pátria e reivindicar os direitos nacionais da Galiza com pouco de SOCIALISMO E PROLETARIADO e uma outra boa nova,  a da constituição de Galiza pela Soberania, iniciativa em que muito de Compostela e pouco ou nada do resto da Galiza, Ferrol, Vigo, A Crunha... O PROLETARIADO GALEGO e onde mora. Em qualquer caso INICIATIVAS DE UNIDADE e que cumpre realçar e por sua vez assinalar o CLAMOROSO SILÊNCIO da palavra PORTUGAL e as suas implicações POLÍTICAS para a Galiza e a sua luta pela SOBERANIA e embora nos manifestos se empregue mesmo a nossa secular ORTOGRAFIA, a do português, não a LUSISTA, palavra que como luso, lusismo, lusofonia... PERPETUA A PATRANHA da origem da nossa INTERNACIONAL LÍNGUA, de origem GALEGA, não LUSA. INTERNACIONAL LÍNGUA em que são ALFABETIZADAS centos de milhões de pessoas no mundo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa e as pessoas GALEGAS NÃO! Eis a chave, a simples chave, ALFABETIZAÇÃO, que não querem reconhecer TODAS as pessoas que equivocadamente estão a «lutar pela língua»; não se luta pela língua, luta-se pelas pessoas galegas e o seu direito a serem ALFABETIZADAS na sua própria língua e cultura; não querem umas e outras escreverem num papel e bota-lo ao vento, REIVINDICAR que «o nosso caso é MUITO MAIS SIMPLES que o dos bascos ou catalães» para UNIR AS DUAS GALIZAS DESLOCADAS, para REUNIFICAR os territórios que integram a NAÇÃO, para UNIR À GALIZA E PORTUGAL, como escrevera e reivindicara Castelão; preferem ROER O RACISMO de bascos e catalães, entes SUPERIORES, que INFERIORIZAM ou simplesmente NEGAM os direitos nacionais da Galiza, preferem aliança com eles sem procurar e PRIORIZAR a aliança com os portugueses que à hora de escrever acerca da questão, hierarquizam, asses bascos e catalães, e a Galiza de terceira divisão; e não só hierarquizam, também equiparam os três, como se a Galiza não fosse ou estivesse a norte de Portugal, como se não houvesse língua, cultura e história COMUM, como se em Portugal não florisse o Federalismo, os Centros Republicanos Federalistas, Teófilo Braga e muita outra coisa que deixaram DOUTRINA DE UNIÃO NACIONAL GALEGO-PORTUGUESA mesmo PROLETÁRIA com a União Operária Galaico-Portuguesa. Questões todas das que não falam as nossas deputadas e deputados na UE e no Parlamento Europeu, em Bruxelas ou Estrasburgo, embora se lhes encha a boca com palavras acerca dos direitos nacionais, independências, reunificações... das Ilhas Feroé, Groenlândia, Escócia, Euskal Herria, Catalunha, Irlanda... Em Bruxelas, hoje, reunir-se-ão RAPOSAS E GALINHAS com danos para as últimas que podem e têm de DERROCAR O CAPITALISMO FINANCEIRO MUNDIAL representado pelo mega-banco JPMorgan cuja GUERRA contra o proletariado galego-português, Portugal, a sua Constituição garante de direitos do operariado e contra os países do sul da Europa está EXPLICITADA, foi PROCLAMADA, como nós PROCLAMAMOS que o mundo está emprenhado de revolução SOCIALISTA, como proclamara Lenine em 1917 ao regressar a Petrogrado: «a revolução SOCIALISTA MUNDIAL está a ponto de estalar». Revolução socialista galego-portuguesa a meio da INSURREIÇÃO.        
Em Ferrol, quinta-feira, 11 de Julho de 2013

COMISSÃO PARA A REUNIFICAÇÃO NACIONAL DA GALIZA E PORTUGAL

Autoria e outros dados (tags, etc)

por galizaunidaportugal às 18:59


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Julho 2013

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031